O termo guerra cambial — ou guerra monetária — vem sendo usado por muitos economistas e diversos governos para descrever uma provável disputa entre os países em relação às moedas de cada um.

Porém, em meio a todo esse certame, é preciso ter muito cuidado na hora de investir para que você não acabe perdendo dinheiro e sendo prejudicado.

Entretanto, ainda existe uma “luz no fim do túnel”, e quando falamos nessa luz, falamos de bitcoin.

Neste artigo, vamos mostrar a você por que o bitcoin tem se tornado alvo dos investidores e se ele consegue sobreviver a essa guerra monetária. Continue a leitura e confira!

O que é bitcoin?

Para você entender melhor a influência do bitcoin no cenário econômico, precisamos explicar resumidamente o seu conceito.

Também conhecida como a moeda do futuro, o bitcoin é a primeira moeda digital descentralizada. São moedas que você pode remeter via internet, e quando comparadas a outras alternativas, possuem inúmeras vantagens.

Grosso modo, o bitcoin é uma moeda como o dólar, o real e o euro, só que digital.

Essa moeda pode ser transferida de pessoa a pessoa sem precisar passar por um intermediário ou uma instituição financeira: tudo é feito pela internet. Devido a isso, as taxas tornam-se bem menores, você pode utilizá-las em qualquer país e não existem limites ou requisitos.

Por que o bitcoin se mantém isento da guerra monetária?

Porque ele se mantém isento dos bancos centrais. Nenhum Banco Central emite o bitcoin, e também ele não pertence a nenhum país.

A moeda é gerada pela internet, por meio de um programa de computador, o minerador bitcoin. Após isso, os bitcoins são guardados na sua carteira digital, que funciona como um banco on-line.

À medida que a guerra monetária se intensifica, mais dinheiro resultará para bitcoin, pois as pessoas vão procurar ativos alternativos para atuar — elas estarão em busca de algo que lhes traga segurança.

Simplificando, o bitcoin se mantém isento da guerra monetária porque ele não depende de governos. Como ele não possui uma instituição administradora central, se torna inviável qualquer tipo de emissão de valor ou manipulação que induza à inflação por uma autoridade governamental ou financeira.

O bitcoin é confiável?

A confiabilidade é um dos principais fatores que deve ser analisado antes de realizar qualquer investimento. No caso dos bitcoins, não é diferente.

A moeda conta com a tecnologia blockchain, que realiza o registro público e partilhado das transações, tornando a rede bitcoin mais transparente e segura.

Da mesma forma que a internet mudou a imprensa, o bitcoin tem mudado as finanças. Em apenas um ano, o bitcoin teve uma valorização de 133% e tem se mantido em alta, sem muita instabilidade. Quanto mais pessoas aderirem ao bitcoin, a moeda se tornará cada vez mais estável, diminuindo assim suas oscilações nos preços.

Agora que você já entendeu como o bitcoin consegue sobreviver em meio a uma guerra monetária, que tal assinar a nossa newsletter e ter mais informações importantes na sua caixa de entrada?

Guto Schiavon

23 anos, empreendedor e apaixonado por tecnologia. Hoje comando toda a área de operações e atendimento ao cliente da Foxbit, a maior corretora de bitcoins do Brasil, que eu fundei em 2014.