Investir por conta própria representa uma maior autonomia em relação aos riscos aceitos e ao controle daquilo que é investido. Nesse contexto de liberdade, é mais importante ainda conhecer bem a volatilidade e entender corretamente as possibilidades de retorno.

Levando isso em consideração, a rentabilidade do BitCoin é um desses fatores que você, como investidor independente, precisa compreender. Sendo assim, preparamos este pequeno histórico para comentar a respeito de sua evolução e das perspectivas futuras. Continue lendo para saber mais!

A rentabilidade do BitCoin em 2017

variação do BitCoin é um segredo para muitas pessoas, inclusive para uma considerável parcela dos investidores que apostam nesse caminho. Olhar para a sua rentabilidade atual é, portanto, uma das maneiras mais efetivas de analisá-la.

Segundo notícia publicada pelo InfoMoney, a moeda apresentava, ainda no primeiro semestre, um aumento de quase 140%. O comparativo ia do dia 1º de janeiro ao fim do mês de maio, data da publicação. No início do ano, ela era negociada a US$ 1.003; no fim do período analisado, chegava ao surpreendente valor de US$ 2.337. Ou seja, em apenas cinco meses, ela teve uma alta significativa. 

O porquê da valorização do BitCoin

Para se ter ideia, em 2015, mais de 15 mil comerciantes brasileiros aceitavam BitCoins como forma de pagamento, de acordo com artigo publicado pelo TecMundo. Esse número se explica pela valorização da moeda. Mas por que ela acontece?

Isso se deve à autonomia que ela proporciona aos investidores, além da segurança — é digitalmente “armazenada” — e das baixas taxas de transação

Outro fator impactante foi a regulamentação do BitCoin no Japão, que ocorreu em em em abril de 2017. O país, cujo papel é relevante na economia mundial, estabeleceu uma série de medidas visando o aperfeiçoamento de termos legais e operacionais de transações realizadas com a moeda.  

A implantação do SegWit (Segregated Witness) nas operações também contribuiu consideravelmente para a valorização. Ele introduz uma nova forma de segmentar e armazenar as assinaturas (testemunhas) de uma transação, deixando-a mais segura. 

As perspectivas para os próximos anos

Partindo desse cenário, a estimativa é de que a sua rentabilidade continue alta — ou aumente — no futuro. Este texto da revista Exame dá a medida precisa do histórico: quem comprou R$ 100 de BitCoins em 2011, tem cerca de R$ 120.000 atualmente.

Desse modo, não é de se espantar que a liberdade econômica por ele proporcionada só cresça nos próximos anos. Basta olhar para o seu histórico e notar que, apesar de todas as grandes variações, ele se manteve extremamente rentável. Por isso, as tendências são animadoras.

A rentabilidade do BitCoin e os outros investimentos

dinheiro digital, em comparação a outros tipos de investimento, como rendas fixas e bolsa de valores, se mostra como uma excelente opção. Um levantamento feito pela Época Negócios comprova isso: a porcentagem de retorno do BitCoin até agosto de 2017 foi de 342,77%, a Ibovespa ficou com 17,91%, sendo que a Selic e o CDI tiveram algo em torno de 7,20%. 

Levando todos os fatores apresentados, o histórico e as perspectivas dos próximos anos em conta, fica fácil perceber que a rentabilidade do BitCoin é impressionante. Por isso, é fundamental perder o medo de investimentos de risco como esse, pois eles oferecem retornos significativamente maiores, fazendo com que valha a pena se arriscar um pouco mais para receber grandes valores no futuro. 

Se você gostou deste texto e ficou interessado em obter outras informações, entre em contato com a FoxBit. Será um grande prazer atendê-lo!